4/12/2009

O primeiro beijo

Era um beijo que estava prometendo acontecer. Um beijo congelado no tempo. Um beijo que aguardava o momento certeiro. Olhos fechados e cabeças voltadas uma para outra. Entre elas o espaço de um tudo. Um universo prestes a expandir-se.

E num estalo, numa fração de um semi tempo qualquer, o beijo acontecia. Os corpos se encontravam na certeza de que além de bom era certo. Boca na boca, corações compassados e o mundo lá fora, parado, contemplando o encontro que não teve nenhum atraso. O tempo era de uma sincronia perfeita.

Para os dois não havia tempo ruim. Os olhos permaneciam fechados, como se ambos confiassem na bondade inexistente no mundo. O mundo era amor. E acreditavam, de olhos fechados ou mesmo quando os abriam, que foram feitos para o amor. Acreditavam na possibilidade de um amor novo. De um amor que cura e completa.

Se beijaram, enfim. Os corações pararam, mas continuaram vivos.

Foto: Pipa Cavalcanti

2 comentários:

helen disse...

me lembrou uma música...

"foi sem querer que eu beijei a suuua boca, menina tao louca, eu quero te beijaaaar.
beijo na boca teu corpo no mmeu suado tem sabor de pecado..."

algo assim rsrsrsr

garotabossanova disse...

Que encontro lindo esse...me faz acreditar no amor.Beijo!