12/06/2006

Sobre os Fones de Ouvido


Hoje, voltando pra casa de ônibus, sem ter o que fazer reparei no novo acessório que surge como tendência no mundo da moda: O fone de ouvido. Essa é a afirmativa que minha imaginação e minha ironia me permitem fazer. Os modistas que me perdoem se estiver cometendo um engano.
Mas o fato é que em um intervalo de 30 minutos, contei 65 pessoas usando fones de ouvido (contando comigo, claro) e isso me fez refletir sobre o mundinho paralelo que criamos para viver.

Este aparelho minúsculo nos permite fugir da poluição sonora coletiva e nos incentiva a criar nosso próprio lixão, que pode ter uma variabilidade de 100 ou mais músicas o que equivale a 3 ou 4 horas de barulho. A vantagem é claro, está na possibilidade de escolher o que despejaremos em nossos ouvidos, sem contar que dependendo do volume significa adeus às buzinas descontroladas e às cantadas indesejáveis.
Estou à espera de um óculos que me permita a escolha do que enxergar. Enquanto isso, vou ficando surda aos pouquinhos, entre Bethoven (que coincidência!) e a cantata de natal.

Um comentário:

Ricardo Moraleida disse...

no meu caso, os fones servem pra me deixar a par do que acontece no mundo. Fico ouvindo os noticiários... mesmo que ouça 2 ou 3x as mesmas notícias, sempre tem algo muito interessante...

mas....

o grande barato do fone de ouvido é a forma como o usuário do fone encherga o mundo: totalmente mudo, ou seja, deixando que nós imaginemos o que quisermos que esteja acontecendo em volta.