2/02/2008

Dora Menina, o Amor e a mochila


Ao longe já se ia Dora Menina.
Na longa estrada-horizonte
lentamente seguia
Dora, o Amor e a mochila

No peito, Dora Menina
carregava um nó.
No ombro, a mochila
presa com uma alça só.

Dora Menina, será que não vê?
És tão cega assim?
Não percebe que o Amor
não está mais afim?

Afim de quê? - Dora Menina questiona.

Ora, ora, Dora. Ora bolas!
O Amor não mais se emociona!
Não se incomoda
com sua cara de chorona.

E vê se dessa vez não cochila!
Tire do ombro essa mochila,
esse peso que não compensa.
Dora, menina
vê se pensa!

Mas esse Amor é um bobo - retruca Dora, irritada.
Fica se achando o tal.
Dizendo ser amor, amoreco, amorzinho...
Até parece que não é mau.

O pensamento se cala por um instante...

Mas logo volta a pensar.

Dora, Dora, Dora...
o amor não demora.
E se demora, fica.
Me diz, Dora,
e se o Amor partir?

Se partir, Dora, não volta.
Porque amor quebrado
é prejuízo.

Dora, Dora, Dora...
Mais uma vez,
o amor não demora.

Dora!
Dora!
Doooooooooooooora!

Na estrada-horizonte já se ia
Dora Menina
sozinha.

Os pássaros cantavam tristemente:
"Que Amor é esse que pesa tanto assim?
Será Amor de Dora Menina
que não gosta mais de mim?"

Um comentário:

helen biso disse...

heeeeeeeeeeeey

so nice to have you back!!!!!

luv ya!!! miiiiiiiiiiiiss ya!!!
bora encontrar!!!!!!!!!!!!!!!!! =)