7/28/2008

Conselhos de Delfos

Lá vem Dora querendo se olhar no espelho.
O espelho que tudo sabe,
O espelho que tudo vê.
É essa mania de Dora,
Menina pequena questionando
O por quê .
Ora, Dora,
Só Delfos, o oráculo sabe- tudo
Te conhece,
E vê se não se esquece,
Veja onde finca teus pés,
Pois já ouviste a história que conta
“Conhece-te a ti mesmo
E saberás quem és”
E pare com essa mania de gente boba,
Essa mania de não chorar,
Pois só quem chora, Dora,
Só os chorões sabem amar.
E quando ao espelho voltares,
Nesse encontro com você,
Dê ao seu reflexo um presente,
Entregue a ele um porque.
Divida esse peso
Em mil pedaços
Nenhum coração, Dora
É feito de aço.
Enquanto seu pranto
Não rolar
E o soluço lhe saltar a boca
Saiba, Dora Menina,
Que sua vida será pouca.
Amor nenhum te fará tanto mal
Se não colocares nesse assunto
Um ponto final.
Então, da próxima vez
Sofra, ame
E viva uma vida plena.
Dora, menina,
Vale à pena.

5 comentários:

Ana Carolina disse...

Ah, que poema mais fofo!
Adorei.

Helen Vilela disse...

ja voltou??? hã hã??

=)

Anônimo disse...

Oi Pri, Estou indo hoje para Brasilia, volto na quinta.
Belo poema. Dos Lençois?
Pai
E ai voltou a encontrar com os músicos? Não vai se esquecer das cifras e da letra do Nego Tintureiro.
Pai

Helen Vilela disse...

toc toc toc...

tem alguém em casa???

... disse...

legal o poema, gostei do blog todo tbm, fiz um ressentemente nesse msm site da uma olhada la se gostar ajuda a divulgar...
http://filosofiasobsol.blogspot.com/