1/31/2009

Vinte e Três


Eu não tenho idade
não tenho nome
sem vaidade
Sem fome.
Eu não acredito
não sei
não repito
dancei.
Danço mal
Danço como ninguém
Sou fatal
Mas sou do bem
Sou leve
Devagar
Sou breve
Mas posso ficar
Sou de vento
Sou de cor
Um momento
Por favor.
Sou alma
Desvirada
Pelo avesso
Sou menina
Desde sempre
Do começo.
Sou de ferro
E de pó
Sou poeira
Sou um nó.
Sou de brisa
Sou de morte
Sou um vento
Muito forte.
O sol
Lá bem longe
Si eu puder chegar
Do mundo
Faço morada
Remando por todo mar.
Mas eu não tenho idade
E posso ser breve
vaidade?
Sou pluma
De tão leve.

3 comentários:

garotabossanova disse...

Ser.Talvez essa seja a premissa latente desde que nascemos.Ser,existir,respirar.Ser tudo e não ser nada.Ser um pouco e mais além.A vida só não acontece para os que nada desejam.Um beijo querida.

helen disse...

eie.
saudade
bora pra celula quarta dia 11>???? hehehehhehe

beijos
helen

helen disse...

uai gente,
tentei colocar um comentario aqui e quedi?????

enfim,

to chegando dia 09.
bora fazer alguma coisa? vamo na celula na quarta?

saudade
beijao
helen