12/19/2007

Tem, mas acabou.


Foi assim: acordei com duas grandes vontades. A primeira devo ter aprendido com as formiguinhas alí do post anterior: Comer doce, daqueles bem doces. A segunda veio de uma inspiração rara: fazer uma torta doce, é claro.
Fui ao mercado. Sim, leitor, falo “mercado” porque como não temos muitas opções por aqui, o mercado não chega a ser um “super”, embora tenha melhorado.

Parêntesis: Era uma vez um mercado com plaquinhas bilíngües. E na maior simpatia elas davam as boas vindas para o ser estrangeiro que chegava por ali. “Seja bem vindo/ It always welcome”, as plaquinhas diziam, e os estrangeiros passavam e davam uma risadinha.
Por ingenuidade as plaquinhas se achavam super simpáticas, e eram, coitadinhas. Mas talvez não fossem “tão” bilingues assim.
Eis que na prateleira de doces elas sorriam ao dizer “Balas/bullets”, mas os gringos saiam meios desconfiados dessa parte, e elas apagavam aquele sorriso de outrora, desencantadas com a possibilidade de adoçar a vida de quem passasse por ali.
E continuou assim por muito tempo, porque as plaquinhas, apesar de muito simpáticas, quase não eram percebidas. Pelo visto, nem compreendidas.

Também pudera.

Esses tradutores eletrônicos ou virtuais devem ter comprometido a vida dessas plaquinhas. Por conta deles (dos tradutores), a gaguice das pobres coitadas começava logo na entrada do mercado. Alí mesmo, onde elas, na maior simpatia desejavam as boas vindas. Não se diz “It always welcome”, essa tradução ficou além de errada, muito esquisitinha. As placas deveriam dizer “Welcome”. E quanto a prateleira de doces, essa é engraçada. Bullets é bala, tá certo. Mas é bala de revólver, munição e isso certamente não se vende em mercados, e nem em supermercados. A tradução correta seria Candies.
De uma forma ou de outra, depois que ficaram sem jeito, as plaquinhas sairam de lá. Agora são outras, certinhas, engomadinhas, esnobes por demais. E o mercado perdeu a graça.

Fim do parêntesis.


Então , como ia dizendo, fui ao mercado comprar os ingredientes: leite moça e nescau para fazer um brigadeiro básico. Biscoito waffer e sorvete de flocos. (Eu falei que eu queria doce daqueles bem doces, de doer o dente).

Foi então que, contrariada e vendo minha torta derreter antes mesmo de ser feita, descobri que não tinha sorvete no mercado. Tudo bem, no “seu Oliveira” costuma ter, pensei aliviada. Fui até lá.

- Tem sorvete de flocos, moça?
- Tem, mas acabou. Só chega na 5a feira.
- Mas só na 5a moça?
- É, o barco só chega na 5a feira. Pode vir aqui de tardezinha, que vai ter.


A CIDADE ESTÁ SEM SORVETE!!!!!!

Tudo bem que fiquei chupando dedo, mas um pensamento otimista me alegrou: minha torta vai ter sorvete importado.


Trombetas é mesmo um lugar engraçadinho.

3 comentários:

Ana Carolina disse...

Bullets foi demais!

:))

helen biso disse...

e a saudade que eu to de vc nao acaba nao!!!

tem e tem muita!!!!

queria vc aquiiiii

beijos
biso

Ana Carolina disse...

Pipoca, hj eu sonhei que vc estava dirigindo um jipe, e atrás tinha um adesivo em letra Arial bold, branca, escrito Biso Pipa.

saudades.

bisoM