11/30/2006

A caixinha de surpresa


Era uma vez uma triste princesa
que ficava presa
na caixinha de surpresa

E não havia, porventura
quem a libertasse
por mais que o tempo passasse

Todos sabiam da princesa
e também da tal caixinha de surpresa,
mas não a viam,
não a entendiam,
nem ao menos a escutavam

Eis que veio um príncipe
com o olhar meio torto
e viu que na caixinha
jazia um coração
já quase morto

Entrou então.
Fez da caixinha sua morada.
E ficaram ali,
ele e a princesa,
feito alma penada

O tempo resolveu passar
e os dois na caixinha,
no mesmo lugar

Sem ver o sol
sem ver a chuva
nem o frio
nem o mar.
Escolheram viver na caixa
e ali dentro
a prenderam se amar.

E o tempo resolveu passar...

E na caixinha
já não cabia mais tanta tristeza
e as realezas começaram a brigar.
Ela, triste por não ter a lua.
Ele, por não ter o mar.

-Eu quero sair daqui!
Disse a princesa já entediada
-Pois saia!- Disse o príncipe-
faça do mundo sua morada!

Abriu-se a caixinha
e a princesa saiu devagar,
ainda assustada com a luz
e encantada com o lugar.

E com os passo lento
descobriu o sabor do vento;
Com o olhar tristinho
Viu o Bem-te-vi
Fazendo o ninho.

Já cansada de andar
a princesa pôs-se a chorar,
Mas logo olhou pra frente
e viu o mar.

Então ficou ali sentada,
parada a contemplar.
E no intervalo de meia lágrima
caiu sobre o mar
O reflexo do luar

Foi então que se acabou a tristeza
e as lágrimas também.
A princesa ganhou as riquezas
Que o príncipe não tem.

Por falar no príncipe de olhar torto
na caixinha foi encontrado morto.
Morreu foi de tristeza, ou de saudade
mas pouco se sabe sobre a verdade


E a princesa vive dizendo
Que quem tem caixa
Não tem coração.

6 comentários:

Carol Vil disse...

Nuuuuuuu!
Identidade total!
Amei essa narrativa-poema. Vc sabe o quanto eu sou cismada com caixas. :)) Ficou lindo.

Anônimo disse...

Toda vez que eu leio eu espero o final feliz...

helen biso disse...

aqui...
dai que veio aquela musica da Sandy e Junior?
"bem la no céu uma lua existe, vivendo só no seu mundo triste...."
Na verdade acho que essa musica é do roupa nova rs...

beijos pipaaaaa
Ameio o poema!!!!

Ricardo Moraleida disse...

vem pra caixa você também! vem!

Vilela disse...

"Da caixa só aproveito a cor do papelão - minha pele em dias de sol.

Quero pra mim uma vida na esponja - absorver filtrando de todos os lados."

Parabéns pelo lindo conto de fadas!
Abraço, Vilela.

André Assunção disse...

ehehehe excelente