3/09/2007

Trovoada # 7



Contra a Futilidade
Resolvi aderir a campanha contra a futilidade que a Carol levantou. Nossos pontos de vista são iguais ou parecidos em muitas áreas, então resolvi apoiar minha parceira com alguns outros pensamentos relacionados ao assunto.

É incrível como minha paciência tem sido testada com bastante freqüência, porque se tem alguma coisa que me irrita é o ato, o efeito e a conseqüência de um ser fútil. Acredito eu que a futilidade não é apenas a preocupação com o próprio exterior mas também com o exterior alheio (e esse é um nível mais elevado dos sintomas). A conseqüência disto varia entre os comentários maldosos e os elogios falsos. Lembrando que geralmente os comentários são feitos “pelas costas” e os elogios são notavelmente acompanhados com aquele olhar de inveja. Um exemplo disso seria:

-“Nossa, que blusa linda! Vou ‘roubar’ ela pra mim!”

Um ser fútil sempre pensa em como ele ficaria mais bonito do que você.

Outro sintoma da futilidade é a preocupação evidente na declaração de status. O indivíduo infectado acha bonito dizer o que tem e ainda pode tentar utilizar este método da declaração como ferramenta de conquista. O exemplo clássico seria:

-“E ai, vamos dar uma voltinha no meu Classe A?”

Mas geralmente só conquistam pessoas com o mesmo problema, já que elas facilmente se deixam encantar com nomes/marcas de grande importância ($)

Existe também aquela futilidade que geralmente apresenta seus sintomas disfarçada pela “vaidade em excesso” . Facilmente detectada quando um individuo resolve usar um salto “quilometricamente alto” no meio do mato. Acreditem em mim, já presenciei uma cena destas!

Volto a dizer que o que me incomoda é a preocupação EXCESSIVA com a aparência e consequentemente o medo do que “os outros vão pensar”.

É por isso que acredito que a preocupação com o interior deve vir em primeiro. É ela que faz a diferença. Com salto ou sem, é a beleza interior que conta.

Beleza que não tem reflexo, beleza que não passa batom, beleza que não torce o pé, beleza sem decote... Beleza simples e linda. É esta que me preocupo em ter.

Abaixo a Futilidade!



4 comentários:

Bruno Moraleida disse...

"Beleza que não tem reflexo, beleza que não passa batom, beleza que não torce o pé, beleza sem decote... Beleza simples e linda. É esta que me preocupo em ter."

E como tem!
E tenho dito!

Ana Carolina disse...

Apoiadíssima!
Nossa, vc lembrou aspectos que eu tb gostaria de ter mencionado no texto. Beleza interior já! Valores e não "valores" $$$!

Tenho dito!

helen biso disse...

tots...

you go girl!

Fulvia disse...

Oi pipa, realmente vc disse tudo que precisa...
A beleza hj passou a ser um artigo de comércio, e passou até a ficar feia...
Como te falei logo cedo... o que mantém os relacionamentos é a igualdade de caráter... não a beleza... essa é fútil, se for só ela, vira cansaço e enfado...
Tenho um tio, o Tio Cláudio, pai do Bressane, que sempre fala assim: Quero ver essa beleza toda daqui a 40 anos... vai ser tudo muxibada... (ele tem razão, beleza é algo temporal... caráter não, esse é eterno.)