3/11/2007

A vontade e o tempo

A minha vontade
era a de mudar a vontade dos outros
de mudar o pensamento dos outros
de mudar o olhar dos outros.


A minha vontade
era também a de descobrir seus sentidos
a de esperar o seu tempo
de te esperar.

Estas vontades ainda são.
não eram,
porque são teimosas
e não saem de mim
por mais que eu queira não querer.

Por mais que me doa te ver passar
ainda tão distante
e que aquelas nossas musicas
não toquem mais
as vontades são constantes.

Vontade de mudar
Vontade de entender
Vontade de ter vontade.

Porque a maior vontade de todas
É ver acontecer,
É de cantar sem dor,
É não desconfiar
É não temer.

Vontade de esquecer
Vontade de sentir
Vontade de querer

Vontade de ver uma parte de mim
Uma pequena grande parte
viver novamente.

6 comentários:

helen biso disse...

nossa pipoca!
Esse ai vai pro meu caderninho onde escrevo coisas que eu vejo e gosto.

É muuuuuuuuuuuuuuuuuuuuito do que eu tenho vontade.

bjao

Bruno Moraleida disse...

vontades... vontades...

Ana Carolina disse...

Digamos q algumas das minhas vontades (com a devida licença poética) tb estão nesse poema.

Ah, moleca!

Ricardo Moraleida disse...

o poeta é um finge-dor?

Pipa Cavalcanti disse...

Ricardo,
isso também. Mas acho que um poeta pode ser multi-uso.

Cristina disse...

Simplesmente...verdadeiro!!
Amei essa amiga.
Alias, sou sua fã, e sempre serei.
Linda do meu coração!!!!
Cris